quarta-feira

Tropa de choque


Na Ilha da Fantasia, cercado de políticos "éticos" por todos os lados, Márcio Thomaz Bastos,“demissionário” pela enésima vez.

Em tom de "adeus às armas", o ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos iniciou na manhã desta terça-feira sua despedida do cargo que ocupa há 4 anos com um discurso proferido na abertura do Seminário Internacional de Ciências Criminais, que acontece em São Paulo. Em entrevista coletiva após o discurso, Thomaz Bastos confirmou sua saída do ministério em 2007, mesmo que o presidente Lula seja reeleito. - Estou programado para ficar quatro anos morando e trabalhando em Brasília. Gosto muito do Ministério da Justiça. Acho que o trabalho foi muito gratificante, muito proveitoso. Mas quatro anos é bastante, o Brasil tem uma safra de advogados e juristas brilhante - disse o ministro.

Fontes:Alerta, O Globo/Foto retirada do álbum de Fotos da Ideli Salvatti

9 Comments:

At 5:18 PM, Anonymous Anônimo said...

A Construção da Ditadura; Toques e retoques finais...

Não se instala ditaduras como antigamente, vemos hoje, como se instalaram os ditadores no passado, como exemplo, cito a de Fidel Castro em Cuba – Bem detalhada na Obra de Percival Puggina “Cuba – A Tragédia da Utopia” .
Estamos no Brasil, em pleno século XXI, e do bojo trágico da incompetência, lameada com as mais ridículas sandices de desonestidades aplicadas com o roubo descarado do erário público através de Gangues, Quadrilhas, Ong’s e Partidos Políticos, vimos alicerçar à implantação de um diabólico desejo do poder e ganância de eternizar-se no mesmo, transpassando a vida após morte, se assim houver. Parece-nos exagero à primeira vista, mas os elementos expostos por esse sádico governante – Luiz Inácio L. da Silva, não deixa mais esconder atrás do seu cinismo, cara de pau e hipocrisia, o desejo odioso e raivoso de descontar nos seus adversários a fraqueza e incompetência de sua raiz familiar se conseguir eternizar-se no poder.
Os elementos de implantação da ditadura Lulla, está às claras; Desestruturação da Câmara e do Senado, Difamação de todos os Políticos, Ligações Umbilicais com; Fidel, Chavez e Morales, Fortalecimento das bases de apoio como; PCC, CV, FARC, ONG’S, MST, MLST..., Embolsamento do Judiciário, Subordinação do Ministério Público e Pré-divulgação de futuras ações correlatas; plebiscito do desarmamento, nova constituinte, destruição de grandes empresas privadas (Varig – Volks...), intervenção na Anatel/Internet, prévia manipulação das presidências da Câmara e Senado/2007 e subordinação da mídia à presidência, além de outras situações de cunho moral. Com uma só pergunta eu, justifico a minha opinião; Hoje, qual/alguém dos três poderes da república ou entidade representativa social, tem coragem de questionar o Corrupto-Lulla?, os intelectuais ainda não acreditam ou estão achando que serão os catedráticos do novo regime ditatorial. Enganam-se por serem descartáveis no comando do ‘analfa’, a ditadura Lulla terá um regime mais amordaçador do que no regime militar ‘Concentrador do Poder’, os meios de comunicação – Tv’s, Rádios, Jornais e Revistas não deixarão de existir, serão do Estado e para o Estado ‘Os proprietários atuais não precisarão brigar – serão subordinados à um companheiro imediato do Ditador.
Percebemos a nova modalidade de instalação de uma ditadura, esta de Lulla e Cia. Está sendo implantada de dentro pra fora, organizou-se de forma minuciosamente planejada; Vários elementos ramificaram-se no meio da sociedade, travestidos de moralidade, com a idéia de representá-la chegaram ao poder e agora com o poder nas mãos, em nome dessa falsa representatividade, instalaram-se na estrutura física e funcional do poder público.
O momento é oportuno para uma reação política e social antes que seja tarde, todos nós perdemos a 1ª oportunidade de prendé-lo, quando ele 'Lulla', admitiu e foi comprovado que estava enchendo os bolsos e contas bancárias suas e de seus camaradas com o dinheiro público. A probabilidade de perdas, serão maiores para nossa moralidade, honestidade, ética, dignidade e cidadania, sem levar em conta, o desastre econômico e o retrocesso no contexto internacional.

Prof. Carlos Pinheiro.

 
At 10:18 AM, Blogger Santa said...

Ex-petista querido, ao comemorar, o primeiro ano do Blog da Santa não poderia deixar de agradecer atenção e o carinho que sempre recebi desse blog. Bjs

 
At 10:38 PM, Blogger Ricardo Rayol said...

sim uma safra de salafrários e incompetentes... vindo de quem veio é meio suspeito ehehehehe

 
At 9:47 AM, Anonymous João Vicente said...

Vocês acham que dizer que é ex-petista lhes dá alguma aura de isenção, de responsabilidade, de dignidade. Ridículo. Até porque eum lê estas merdas que você escreve se toca logo que você nunca foi do partido. Ô, tucano, se assume de vez. Ou, de todos os papéis distribuídos entre a equipe de "bloqueiros" pagos pra difamar o PT, esse foi o que lhe deram?

Bom, se é isso, vai lá, meu.

Defende a graninha aí como "ex-petista", então.

hahahahahahahahahahaha

gente safada essa tucanalha.

 
At 2:41 PM, Anonymous TIAGILA said...

SUJÃO VICENTE.Voce é hilário mesmo.Por onde passa suja.Gente burra essa petralhada!Um dia você será um dos nossos.Creia nisso.TIAGILA.

 
At 3:40 PM, Anonymous Anônimo said...

hahahahahahahahahaha

Se acaso, de fato, eu fosse burro ou sujasse qualquer coisa eu ja seria um dos vossos, putigela.

Você é quem recomenda que se leia pura merda panfletária e eu é que sou burro.

hehehehehehehehe

Eu morro de rir com vocês. Com seu cinismo.

O veadão aí é o pior de todos.

 
At 12:06 AM, Anonymous Saramar said...

Ai, ai, mais um petista doido destilando suas grosserias pelos blogs.

Que foto, Ex.
Uma reunião de "sumidades" que poderiam sumir das nossas vidas para sempre.

beijos

 
At 6:23 PM, Anonymous Vera said...

Que nojo dele!

 
At 9:05 AM, Blogger Hermano Leitao said...

Terrorismo de Estado

Hrmano Leitão

Em nome do projeto de permanência no poder, o Partido dos Trabalhadores lançou mão de táticas de terror mediante uso da máquina estatal, em flagrante desprezo à ordem institucional brasileira. Escudado pelo mito do líder popular que não se fragilizaria nem se ele desse uma surra na mãe sob uma câmera de um reality horror show, o PT invadiu sigilo bancário, usou eleitoralmente as ações do PCC, arapongou autoridades, forjou dossiê, traficou dólares, aliou-se a corruptos históricos etc, mediante requinte autoritário a la Fidel Castro ou Stalin. Em sua concertación eleitoral, centrou fogo contra os Estados do Sul e o Estado de São Paulo, sedes de resistência heróica à quadrilha lulo-petista. Diante desse quadro de terror estatal, as eleições serão apenas mais um capítulo subjacente, não o fim da história.

Tráfico de dólares

No caso da compra do dossiê fajuto contra os tucanos, dois fatos chamam mais a atenção. A um, o alvo petista era mais uma vez o Estado de São Paulo, onde o terror precisava ser instalado para o propósito derrotar os adversários. Foi um tiro no pé, como todos já sabem. A outro, e mais grave, é o fato de a mercadoria fabricada ter sido encomendada com parte do pagamento em dólares, que entraram clandestinamente no Brasil. A origem do dinheiro sujo dessa operação criminosa evidencia não só o modus operandi das autoridades do governo do PT contra a efetividade de institutos legais, tais como mecanismos de segurança contra a lavagem de dinheiro, mas, também, evidencia a falta de escrúpulos dos que se instalaram na máquina estatal para atingir objetivos rasteiros. No episódio da quebra ilegal de sigilo bancário do caseiro Francenildo, que ousou testemunhar contra o petista e ex-ministro Antonio Pallocci, a origem do dinheiro foi desvendada rapidamente. Agora, o Ministro da Justiça empurra a investigação da Polícia Federal para depois do primeiro turno das eleições – pode estar dando outro tiro no próprio pé.

O gangsterismo

Na edição deste final de semana, o editorial da revista Veja enquadra a compra do dossiê fajuto: “O episódio é fruto de desgoverno, da colonização do aparelho de estado por militantes petistas contaminados pela notória ausência de ética e moral da esquerda quando esquadrinha a chance de chegar ao poder – e, depois, de mantê-lo a qualquer custo. Sobre essa delituosa sopa primordial paira a figura complacente do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ele se jacta de ter afastado os amigos, os companheiros de viagem política, ministros e funcionários de alto escalão pegos com a mão na cumbuca.” O diretor licenciado do Banco do Estado de Santa Catarina e analista de risco da campanha do presidente, Jorge Lorenzetti, o ex-diretor do Banco do Brasil Expedito Veloso, o ex-secretário do Ministério do Trabalho Oswaldo Bargas, e Hamilton Lacerda, integrante da campanha do candidato petista ao governo paulista, Aloizio Mercadante, todos confirmaram terem participado em algum momento das negociações espúrias. A tática, no estilo gangster, é “assumir o BO”, para livrar os chefes.
As eleições

O resultado das eleições, diante da ação criminosa (corrupção, abuso de poder e fraude) de autoridades do governo e de coordenadores de campanha de Lula e de Mercadante, é fato adjetivo, reveste-se de gravidade e estabelece o fato consumado da delinqüência contra o Estado de Direito. O quadro eleitoral já se altera vetorialmente para a derrota destes petistas – o presidente da república já sucumbe ética e moralmente na história das presentes eleições. A questão que se sobrepõe agora é o futuro das instituições democráticas. Lula será processado e julgado à luz da Lei e em sede judicial, onde o mito desce do Olimpo e ganha a natureza que lhe é compatível. Com ele desmistificado, o Brasil deve desde já vacinar-se contra o “demônio”, que ele disse recentemente possuir nas entranhas e que tem vontade de se manifestar quando contrariado.

 

Postar um comentário

<< Home